"O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção." (Artur da Távola)

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Pra variar... Aprontando! (Em 23/11/2010)

Oi, amigatinhos!!!!! Mamis andou escrevendo bastante sobre mim, não foi mesmo? Então pra ela descansar um pouquinho, agora eu irei escrever.

Hoje eu fiz algumas travessuras, e a mamis ficou pra arrancar os cabelos. Como já contei para vocês, eu não entendo o motivo de tanta preocupação, mas respeito minha mamis atenciosa. Ihihihih. Bjo, mamis!
Bem, a primeira travessura foi subir na janela. Isso mesmo, pela primeira vez eu subi em uma janela. Mas não foi exatamente em um pulo só. Na verdade fui indo por cima de um monte de bagunças que tem no “quarto das bagunças” na minha casa, e aí consegui chegar na janela. Fiquei lá toda faceira reconhecendo o terreno, até que mamis chegou e caiu na gargalhada, pois apesar de ficar preocupada, ela entende que é inevitável que eu apronte dessas. Mesmo assim nem preciso dizer que ela me tirou de lá, não é? Ah, amigatinhos, eu não gostei muito, pois queria explorar mais e aprender como descer sozinha. Mas tudo bem, na próxima eu consigo. Ihihihih.
A outra travessura foi mais perigosa, e quando lerem, vocês irão entender o porquê!
Bem, como mamis escreveu anteriormente, ela colocou uma fitinha no meu pescoço, e não me dei muito bem, até que ela apertou de um jeito que não me sufocasse, mas que também eu não conseguisse me enganchar novamente. Só que hoje, um dia após os primeiros sustos por causa dessa bendita fitinha, eu aprontei o seguinte: Estava eu em cima da cama com mamis, ela estava lendo alguma coisa, e eu aprontando. Até que por falta de com o quê brincar, resolvi morder novamente a fitinha, mas como ela estava apertada, não consegui passar mais que um dente por dentro dela. Aí, amigatinhos, fiquei com a fita enroscada em apenas um dentinho meu. Claro me agoniei bastante, porque começou a puxar e doer meu dentinho. Comecei então a me debater, e quando mamis viu a arrumação, ficou muito agoniada também, sem saber como resolvia aquilo. Até que ela raciocinou e resolveu cortar a bendita, de uma vez. Foi um pouco complicado, porque por conta da dor, eu não queria ficar quieta, mas mamis conseguiu me segurar e deu fim ao meu sofrimento. Nossa! Que susto! Ainda bem que eu resolvi fazer essa bobagem somente quando mamis chegou do trabalho. Já pensou se faço enquanto estou sozinha? Corria o grande risco de arrancar meu dentinho, e sei lá mais o quê! Nã! Que brincadeira besta, amigatinhos. Não repitam isso de jeito algum, tá?
Ah, agora fiquei sem fitinha mesmo. Mamis não teve mais coragem de colocar nada no meu pescoço. Ihihih. Ainda bem!
Lambeijocas para todos!

Um comentário:

Heloize Tavares disse...

kkkkk ri muito, bem sobre as janelas.... aqui em casa todas tem tela por causa do Iruka, e ccoleira ou fita ou qualquer coisa no pescoço não é recomendável, a veterinaria que como fica no pescoço um hora ou outra ele vai perceber que esta lá e vai querer tirar, e vai se engasgar e se isso acontecer quando não estiver ninguem em casa, fica complicado