"O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção." (Artur da Távola)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Subindo no Sofá (em 11/11/10)

Pronto, Lori hoje resolveu escalar o sofá. Por certo entrou no ritmo por ter conseguido subir na cama, então... Subiu, desceu, subiu, desceu! Uma festa! E o mais engraçado é que ela sobe e desce sempre pelo mesmo lugar, e se tiver algo desconhecido ou fora do lugar, ela recua! Em um dos momentos, meu marido colocou uma almofada em posição diferente, e quando ela se agarrou pra subir, a almofada ia virando! Se ele não estivesse presente para segurar a almofada, já viu, né?
Ah, fez também outra peripécia, pois como adora seguir o Dudu (irmãozinho), teve um momento que ele pulou em uma das janelas, e como ela acompanhou o som do movimento dele, acredito que percebeu que ele pulou em algo, e começou a tentar pular também, mas como não tinha noção da altura, não pulou alto suficiente. Assim, Lori “ainda” não conseguiu escalar uma janela com um pulo só, mas como é bem atrevida, tenho certeza de que não vai demorar muito.
Ah, pessoas, ela está com uma parte do rosto inchada, justamente na bochecha e onde deveria ter um dos olhos. Fiquei um pouco preocupada, mas como toquei no local e ela não reclamou, vou aguardar para ver se melhora.

Subindo na cama! (Em 10/11/2010)

Gente, durante essa madrugada do dia 10/11/10, a Lori aprontou uma nova! Eu estava dormindo tranquilamente, e quando fui me virar na cama... A Lori estava lá! Deitadinha e encostada no seu Papis! Justo no Papis, que é muito grandinho em comparação a ela, e caso virasse, só Deus sabe como ficaria a pobrezinha da Lori! Então me digam, como ela foi parar lá? Muito espertinha essa criatura! Subiu pela primeira vez na cama, e eu nem vi! Que pena! Ah, e nem vi quando ela desceu, viu? Pois quando acordei, ela já estava andando normalmente pelo chão! Essa Loló! Quando eu conto, o povo me diz que ela está me enganado! Kkkkkkkk. Lorizinha safada!

sábado, 27 de novembro de 2010

Até logo para o Dudu!

Amigatinhos, hoje é um dos dias mais tristes que já vivi aqui na minha casa! Mamãe chora muito, e papai tb. Infelizente, após uma semana de internação, meu irmãozinho Dudu não resistiu a uma infecção e foi pro céu! Sabemos que ele está melhor que aqui, e que Deus é o dono da vida de todos nós, mas mesmo assim é muito triste e dói muito olhar pra todos os lugares da casa e não ver mais meu irmãozinho aprontando todas! Papai disse que sempre que olhar pra mim vai lembrar dele, pois como já disse pra vcs, era o Dudu que eu sempre seguia, pois ele foi meu escolhido pra me guiar! A gente vai sofrer muito tempo pra superar, mas também temos o consolo de que mamis e papis, e tb os médicos que cuidaram dele, fizeram tudo possível. Mas a vida é assim mesmo, não é! Só nos resta chorar e pedir a Deus que acalme nosso coração!
Vai com Deus maninho! Nossa família NUNCA vai te esquecer, e SEMPRE vai te amar! Obrigada por ter vivido conosco! Uma lambeijoca no teu coração!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Surpreendendo (em 01 e 02/11/2010)

Pessoas, nesses dois dias a Srta. Lori aprendeu a brincar com bolinhas de papel. É muito interessante, pois ela segue o barulho da bolinha e vai atrás, brincando normalmente. Nem parece que não enxerga, tamanha rapidez dos movimentos. Salvo, claro, as vezes em que a bolinha vai parar mais distante, e ela fica estapeando o vento, o que dá peninha dela, mas também é engraçado! Aliás, minha irmã, que viu a traquinagem, chegou a duvidar que a Lori não enxergue, e questionou se ela não estava me enganando. Kkkkk. De brincadeira, viu, gente, pois a Lori teve os dois olhos retirados devido uma infecção que não sabemos a causa, então não há possibilidades dela estar me enganando.
É muito bacana descobrir dia a dia que realmente ela pode se adaptar para ter uma vida completamente normal.
Gisele.

Interagindo (em 31/10/2010)

Hoje meu irmão Dudu resolveu me aceitar, de tanto que insisti! Eheheheheh! A gente brincou bastante, ele me morde, eu mordo ele, e eu faço uns barulhos engraçados, o que faz com que minha mamis venha ver o que está acontecendo! Não entendo porque ela se preocupa tanto, já que estou só brincando, mas mãe é mãe, não é, amigatinhos? Enfim, agora estou mais agitada, como uma verdadeira gatinha bebê tem que ser! Tá bom, tá bom, ainda estou batendo minha cara em paredes, pé de cadeiras, mesas... Mas eu não enxergo, não é? Tenho ainda que me acostumar com a localização dos objetos da casa. Mas eu vou conseguir, vocês não acham?

terça-feira, 23 de novembro de 2010

E com vocês: Dudu!

Amigatinhas e amigatinhos, minha mamis falou aqui no blog, que meu irmão Dudu é bastante travesso, e é verdade. Dêem só uma olhada no que ele faz nas grades da varanda na nossa casa. Ninguém ensinou, viu? Esse meu irmão é um artista! Quem mais eu poderia seguir? ihihihihih! Lambeijos!

video

Início das Aventuras (30/10/2010 - 3º dia)

ÊEEEEEhhhhhh! Hoje a Lori resolveu dar umas voltinhas pela casa, e foi até parar no quarto, onde, como imaginei que faria, resolveu se esconder debaixo do guarda roupa, o que só me deixou preocupada quando, após muitas horas, percebi que ela não estava interessada em sair. O jeito foi eu ir lá e catar ela. Como chegaram visitas e a casa ficou cheia o resto do dia, ela não se aventurou mais, preferiu voltar para trás da porta!
Ah, resolveu também começar a seguir um dos irmãos, justamente o mais danado, o Dudu! Ela fica ouvindo os movimentos dele, e vai indo atrás. Tentou interagir, mas ele rejeita, afinal,ela acabou de chegar!
Céus, minha BB vai ficar bem danada!

Gisele.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

29/10/2010 (2º dia em casa)

Muito cedo tratei logo de levar minha queridinha para a caixa de areia, onde novamente, para minha felicidade, ela fez o que precisava. Também coloquei sua comida, reforçando o caminho da comida para a água. Mas ela continuou durante todo o dia com o mesmo comportamento do dia anterior: Escondida atrás da porta. Só saiu mesmo nas vezes que a busquei, inclusive para ficar um pouquinho ganhando carinho! Então nem deu pra conhecer sobre a personalidade dela, pois ainda estava tímida. Rssss.

Gisele.

Rifa APATA

Oi, pessoas! A mamis da Gata Lili está organizando uma rifa para ajudar a ONG APATA, da qual ela e também a minha mamis fazem parte! Vejam como é:


Quem participar estará ajudando vários gatinhos e cachorrinhos que foram resgatados das ruas e hoje esperam por um novo lar.

O vencedor receberá os seguintes prêmios:

- 1 caixinha de lata decorada com temas felinos, para guardar as coisas da sua mamãe
- 1 blusa da ong APATA
- 1 cd de relaxamento especial para gatinhos (Relaxing your cat)
- 2 chaveiros da ong APATA


Quais as regras da Rifa?
Escolha número(s) de 00 à 99. Cada número escolhido custa R$ 4,00. O resultado será feito de acordo com o resultado da Loteria Federal do sábado seguinte ao preenchimento da cartela. Os números sorteados são as últimas dezenas do 1° prêmio ao 4º prêmio.

Como participar?
Para reservar seu(s) número(s), mande um e-mail pra iolandalene@yahoo.com.br (com cópia para mim gata.lili2@gmail.com), com o campo assunto escrito Rifa da APATA.

Iolanda verificará se o número está disponível e responderá confirmando sua reserva
Deposite R$ 4,00 para cada número escolhido, na conta de Iolanda Lene Evangelista (Bradesco; Agência 1234; Conta Corrente 45410-9).

Quando efetuar o depósito, envie e-mail novamente com seus dados: Nome; Telefone; Endereço; Números escolhidos; Data e hora do depósito e valor depositado; Página pessoal ou blog. Você receberá um e-mail confirmando o seu número. De tempos em tempos, vou atualizar no blog a tabela com todos os números.

Eu peço aos meus queridos leitores que têm blog, twitter e orkut, que divulguem comigo esta iniciativa que vai ajudar muitos animais em Fortaleza.

FONTE: http://www.lili-gata.blogspot.com/

É isso aí, amigatinhas e amigatinhos, vamos ajudar!

Lori.

Primeira seguidoraaaa!!! Uhuuu!!!

Gente, eu tô tão feliz! Temos agora nossa primeira seguidora! E é uma Star: Lili! Minha mamis lê tudo que ela escreve no blog dela, e é muito legal, gente! A Lili é uma fôfa! Lili, espero que você goste do blog que eu e mamis estamos desenvolvendo aqui! Bjuuu!!!!

Lori.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

28/10/2010 (Chegando em casa)

Eu e Marcos fomos buscar a Lori. Passamos o dia ansiosos, e ao chegar na clínica, fizemos umas comprinhas básicas, afinal precisa haver uma mínima estrutura para receber a nova moradora. Entenda-se: Caixas de areia e comida, ração, etc.
A Dra. trouxe então a Lori com dois corações brilhosos grudados na testa, e muito cheirosa também. Não entendi, pois achei que era um macho, mas achei engraçado, e entendi como um gesto carinhoso do pessoal da clínica, sempre muito atencioso. A Lori vinha toda abertinha, se escanchando no pescoço da Doutora, e logo que veio pro meu colo, fez o mesmo comigo. Claro, um bichinho enjaulado por dias, sem enxergar nada, sendo passado de braço a braço... E aí fiz as perguntas de praxe à veterinária, para depois sair com a Lori cheirando meu cangote. Fechei os vidros do carro para que ela não se assustasse, e para minha surpresa, ela ficou quietinha sem sequer miar. Talvez acostumada com a barulhada lá da clínica. Passei na casa da minha mãe para apresentar a nova “netinha”, pois a “vovó” estava curiosa para ver a gatinha cega! Lá a Lori continuou agarrada no meu pescoço, e o coraçãozinho acelerado, com certeza sentindo medo do que poderia estar acontecendo!
Chegando em nossa casa, fui logo tratando de apresentar ela aos 03 irmãos, que reagiram razoavelmente bem, considerando que a Mel(a mais velha), de quem esperávamos a pior reação, ignorou ela categoricamente, e a Rubi e o Dudu (os mais novos), só sopravam e saiam de perto, ou seja, nada de ataques. Colocamos então a comida e a água, e levamos ela para perto das vasilhas, onde comeu um pouquinho, e logo descobriu onde ficava o cantinho atrás da porta, e claro que cuidou de se esconder lá. Aí veio a primeira dúvida: “Como ela vai saber onde deve fazer o nº 02?”. Meu marido disse pra eu relaxar, que deixasse ela fazer onde quisesse, no início, que com o tempo seria educada. Mas eu não concordei, pois sempre li que mudar hábitos de animais é muito mais difícil que educar eles desde novinhos, assim levei a pequena pra dentro da caixa, onde pra minha felicidade, ela fez suas necessidades lá mesmo. E aí veio a conseqüente preocupação: “Reconhecer a caixa de areia ok, mas como vai conseguir percorrer o caminho até ela?”, e então eu fiquei na responsabilidade de ficar levando a bichana no “banheiro” de vez em quando, pois com ela escondida atrás da porta, não tinha como descobrir o caminho tão rápido.
E assim foi o primeiro dia da Lori em sua nova casa. Recolhidinha em seu canto, para se proteger das novas “ameaças”. Deixei também ela dormir lá mesmo, pois não teria como colocar em cima da cama, já que se ela resolvesse descer com a gente dormindo, poderia levar uma queda grande, e também não daria pra colocar no quarto, pois vendo ela tão interessada em se esconder, fiquei com medo que se escondesse debaixo do guarda roupa e não saísse mais, pois o mesmo é bem estreito. No final das contas, deu tudo certo, pois a danadinha nem reclamou de nada, e nós estávamos dispostos a respeitar o período natural de adaptação.

Gisele.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Minha carinha!

Gente, essa sou eu! Claro que quando crescer eu vou ficar muito mais linda, mas já sou muito charmosa! Aqui sou eu na caminha da Mamis e do Papis! Adooorooo!!!!

Lori.

Era uma vez...

Ganhei a Lori do pessoal da clínica veterinária que freqüento para cuidar de meus gatinhos e dos da minha mãe. Um dia levamos nossos gatos para tomar injeções, e uma das meninas entrou na sala com a Lori na mão, dizendo: “Olha! Esse aqui eu só dou pra alguém como vocês.” Por que ela disse isso? Simplesmente porque eu e meu marido, Marcos, já somos conhecidos por lá como “o casal dos gatos”. Isso mesmo, depois que resolvemos ter mais de um gato, estamos praticamente todas as semanas na clínica, isso porque tem banho, remédio, etc. É que pegamos gatinhos meio doentes. Enfim, percebendo todo esse esforço para cuidar bem de nossos bichinhos, acharam que nada mais viável que entregar um gatinho deficiente visual para nós. É, pensando assim, é mesmo o melhor, mas... Não aceitamos a Lori de imediato, afinal já tínhamos 03 gatos, e a mais velha não recebe muito bem os novos, ela é agressiva e sempre se afasta da gente, deixando bem claro seu protesto em ter perdido um reinado de muitos anos. Mesmo assim... Pensamos bastante, ponderamos, e nosso coração de manteiga resolveu que seria bem interessante passar por uma experiência dessas, além de ser um ato de generosidade, pois bichinhos assim geralmente morrem nos abrigos, por falta de alguém que se interesse em adotar os mesmos.
Fiquei então “matutando” sobre como seria a convivência com um “ceguinho”, já que nunca havia criado um bichinho deficiente, e tampouco conheço alguém que o tenha feito. Assim, o que pensei? Internet, internet! Mas talvez por muita ignorância, não consegui encontrar algo mais substancial sobre como cuidar de um gatinho assim. Somente coisas superficiais ou mesmo dicas rápidas, como: “Gatos cegos se adaptam com facilidade e vivem como um que enxerga.” e “Não mude os móveis de lugar, para não atrapalhar a movimentação do bichano pela casa.”. Mas não era só aquilo que eu queria saber. Eu tinha curiosidade sobre como era o primeiro dia, como iria ensinar onde ficam as coisas da casa, enfim, uma instrução mais detalhada. Assim surgiu a idéia de criar o Blog (idéia vinda do meu marido!), logo que a Lori chegasse em casa. Na base da observação e da própria experiência, resolvi que seria interessante dividir isso com o resto das pessoas, inclusive para que percam o preconceito de criar esses bichinhos, já que vi no rosto das pessoas a quem comuniquei a novidade, uma admiração seguida, geralmente, pela observação de que seria muito complicado, etc.
Então estamos aqui. Eu e Lori iremos detalhar o máximo possível da nossa convivência. Estamos a sua disposição para tirar dúvidas e dar dicas interessantes, dentro do possível, claro! Pois não somos especialistas no assunto. Espero que possamos contribuir muito!
P.S.: O nome “Lori” foi para substituir “Chico”, pois de início, como ela era muito miudinha, eu não tinha certeza se era macho ou fêmea, e mesmo assim fiquei chamando de nome masculino, acreditando que era “menino”. Mas o novo nome foi sem razão especial de ser.

Gisele.